segunda-feira, 12 de abril de 2010

FRÁGIL...

                    






               
                   







                   


 
            
                 
                    Frágil...
  Como  uma taça de cristal         
que tocada desatenciosamente
 se estilhaça em mil pedacinhos,

                    Frágil...
     Como as respostas da vida
que a imensidão dos seus labirintos 
           aprisiona de vez.
           
                    Frágil...
   Como os descaminhos do amor,              
     que vagam  pela eternidade 
       e só encontram dissabor...      


    Estilhaçada...Prisioneira...Sózinha...
                     Frágil!?
                Fases...Eu sei.    
                                   Maria Emilia Xavier
                                                                                                                         

Um comentário:

Ivana Marisa Altafin disse...

Olá Maria Emília,
Um abraço de solidariedade a todos que estão sofrendo pelas chuvas que atingiram a cidade do Rio de Janeiro, fazendo centenas de vítimas e milhares de desabrigados. O Brasil inteiro está sensibilizado com essa tragédia.