terça-feira, 8 de junho de 2010

FERIDA...POR QUE?


Todos os sonhos que sonhei...
Todos os sonhos que rascunhei...
E alguns que nem pensei...
Eu concretizei...
Então me pergunto...
de onde vem este silêncio?
Que me deixa sem assunto?
Que me tira o cio?
Recordo a vida...
Nada encontro que justifique
e assim me modifique
me fazendo sentir tão ferida...
Penso...Penso...Penso...
Nada houve de concreto.
Nada aconteceu sem consenso.
Talvez...Quem sabe?
O tempo... Cumprindo o seu decreto.
                                 
                                                  Maria Emilia Xavier

9 comentários:

Chica disse...

Triste essa passagem e peso do tempo...LINDO!beijos,tudo de bom,chica( de que lugar do Rio tu és? Niterói? Cada vez que vejo teu XAVIER, lembro de um professor de geografia que tive quando morava aí.)

Cacá disse...

Se isso for um decreto , eis aí uma lei para ser burlada em todas as suas cláusulas, em todos os tempos. abraços. Paz e bem.

Chica disse...

Voltei...Li teu comentário e esse meu professor(há ...trocentos anos atrás,foi no Colégio Cruzeiro no Rio e ele era um abita bonação.;Nunca soube seu primeiro nome, pois o chamavamos de Xavier, ou ainda Prof.Xaxá!

Sempre quis encontrar novamente essa pesoa que foi tão legal.Mas saí do Rio em 64,quando minha irmã veio morrer aqui no Sul,vontade da família. Um beijos,tudo de bom e eu não sei por que cargas d'água,tenho alguma coisa na idéia que ele era de Niterói. chica

Mel Redi disse...

QUE LINNNNDO!! EMPÁTICO! AMEI! Bj da Mel

Eduardo Medeiros disse...

Oi Maria, tudo bem? Bem tocante o teu poema e a tua pergunta. Mas ela só poderá ser respondida por você mesmo.

beijos

gorettiguerreira disse...

Então me pergunto...
de onde vem este silêncio?
Que me deixa sem assunto?
Que me tira o cio?
Recordo a vida...
Nada encontro que justifique
e assim me modifique
me fazendo sentir tão ferida...
Penso...Penso...Penso...
Nada houve de concreto.
Nada aconteceu sem consenso.
Talvez...Quem sabe?
O tempo... Cumprindo o seu decreto.

oi amiga!
Lindo demais seu texto. Extremamente terno.
Amiga eu enviei um poema para o site do Joel, porém tenho sempre que contar com a ajuda da pessoa em questão. Não sei centralizar, alguns errinhos ainda na palavra "mais ou mas". Pede pra ele estar revendo porque penso que foi um desses errinhos dos meus lapsos colapssos...rs
Bjs de luz poetisa.
Goretti Albuquerque

Ivana Marisa Altafin disse...

Oi Maria Emília,
Nos seus poemas não tem meio termo, nos seus poemas transparece sua alma; verdadeira e intensa!
Tem um SELO para você, passe no Fotos, Poesias e Emoções, espero que você goste. Um grande abraço!

Gilson Faustino Maia disse...

A pergunta seria: -Chorando, por que? Carioca, inteligente, de bem com a vida, culta, talentosa, querida pelos amigos, entre os quais tenho o prazer de estar incluído, falta alguma coisa? Um abraço, amiga e parabéns, o blog está uma beleza.

Gilson Faustino Maia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.