segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Pensei...

                                                                                                                       Di Cavalcanti
                                Pensei que na vida
                                a gente pudesse
                                amar quem quisesse.
                                      
                                Pensei...
                                
                                Mas descobri
                                que se pensa tanta coisa...
                                que se quer tanta coisa...
                                E que nunca nada acontece
                                exatamente como se quer...
                                
                                Me desculpe...
                               
                                Por pensar
                                que podia,
                                um dia,
                                pelo menos
                                SONHAR...
                                   Maria Emilia Xavier


TROVAS


Os doze profetas, obra de Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, na Capelado Senhor de Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas do Campo/MG. Foi tombada como Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1985.  A partir de 1796 e durante nove anos, com as mãos deformadas pela artrite, Aleijadinho esculpiu o maior conjunto de esculturas barrocas do mundo! São 66 figuras de cedro, em tamanho natural, que representam as cenas da Paixão, expostas nas seis capelas da Via Crucis. Elas levam ao topo de uma colina, onde estão os 12 profetas, de pedra-sabão, também em tamanho natural.




Meu menino levadinho,
de lá pra cá a cirandar...
Parece até um foguetinho,
Agora que já sabe andar.
                         Maria Emilia Xavier
 
                                 Mãos cheias de ouro e vaidade
                                                sustentam prazeres vãos...]
                                 São felizes de verdade
                                                Mãos que se enchem de outras mãos!
                                                          Pedro Ornellas

                                             
Às vezes palavras faltam,
vão crescendo os sentimentos...
E é então que as trovas saltam
pra fora dos pensamentos!
                                                   Regiane Ornellas



Para ajustar meu vestido,
não quero fitas nem laços,
mas um cinto, meu querido,
formado pelos teus braços!
                                Lola de Oliveira

Longe de ti, triste eu passo
(se vivo mesmo, nem sei...).
É cada trova que faço
um beijo que não te dei...
                                        Luiz Otávio

3 comentários:

✿ chica disse...

Tua poesia, lindíssima, bem inspirada e as trovas idem!!beijos,ótima semana,chica

pensandoemfamilia disse...

Olá menina sumida

Lindo post,imagem poesia e trovas, em perfeita hrmonia.
saudades,
bjs

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Que versinhos charmosinhos! Lindos! mas não gostei quando disse sobre "não poder sonhar". Mas aqui tudo é lindo nesse blog. beijos mil