sábado, 16 de outubro de 2010

GILSON FAUSTINO MAIA - FALA,MORENA


Fala,morena,diz: -Amor, te quero
como o ébrio deseja aquela taça!
Fala, insiste, faz até pirraça,
não desista de mim, assim espero.

Lá fora o mundo é sempre um lero-lero,
uma grande ilusão, uma desgraça.
Fala, morena, diz: -Amor, abraça
um peito pleno de um afeto vero.

A tua voz aumenta o meu desejo,
o teu sorriso incita o meu prazer.
Entre os teus braços quanto encanto eu vejo!

Fala, morena, alegra o meu viver.
Diz que eu sou o teu céu. Tudo que almejo
é ouvir-te chamar-me benquerer.


Gilson Faustino Maia
Petrópolis/RJ







3 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

Que bom ler esse poema com o fundo musical de Morena-Flor!!

beijos e bom domingo

Chica disse...

Gilson é sempre inspirado!beijos,tudo de bom,chica

Ricardo Calmon disse...

Aqui aportei,com angelicais angelus cantando,todos,com braçadas de girassois,ao ler Gilson,perceber sorriso tuo e a energia girassolica que emanas,dúvidas não tive,és um de meus girassois,a forma de amor mais contundente e em instancia superior praticando,a amizade,a solidariedade,a cultura e a arte de só ser!

bzu girassolico na alma

smaaaackkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

viva la vieeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee