segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A TERCEIRA CHANCE...

Ele propôs uma segunda chance. Ela não aceitou, até porque não seria uma segunda e sim uma terceira chance.
Ele insistia e com fortes argumentos de que o amor ainda existia, a falta que sentia do filho, os planos que ainda tinham e por aí desfiava uma lista de razões como da segunda vez que reataram essa união, que comprometida com uma lista nada menor do que seus argumentos de agora, não dera em nada. Melhor...Dera sim, dera a ela a certeza de que um pouco de amor, saudades e planos não bastavam para reerguer nada que já estava destruído pelo egoísmo, pela falta de visão do que seja partilhar coisas...  Imagina, então, vida.
 Ela não o aceitou de volta. Não era capricho, não era castigo, não era outro homem dançando em seus pensamentos, não era nada e era tudo. Tudo porquê nesses anos – intervalados por seis meses de separação da primeira vez e agora por cerca de dez meses separados – ela passou e provavelmente ele também.
Não, decididamente ela não queria de volta uma vida sem graça, sem colorido, tão linear que não havia como ter lembranças, já que os dias não diferiam um do outro.
Os anos dentro dessa relação amarfanhada  a fizeram  exigente, ela ansiava por qualidade, respeito, liberdade no relacionamento; necessitava da loucura e dos desvarios da paixão; aprendeu que os desejos precisam ser esgotados até nenhuma gota restar... Ela queria vida.
A primeira chance os dois se deram quando se escolheram – não deu certo.
A segunda chance ela precisava tentar por seu filho – não foi possível continuar.
A terceira chance... Era só dela.

Maria Emilia Xavier

13 comentários:

Chica disse...

E ela na certa, sabia, tinha certezxa do que fazia! Lindo!beijos,chica e linda semana!

Leonel disse...

Embora o recomeço seja um processo penoso, insistir em algo que já deu errado duas vezes talvez só vá trazer mais desilusão, enquanto se perde tempo!
Vale tentar outras alternativas!
Abraços!

pensandoemfamilia disse...

Bom dia

Esta dificil descisão da separação que é extremamente positiva quando não há mais possibilidade de se tecer os fios do relacionamento de uma forma saudável (respeito, cumplicidade).
Bjs,

Eduardo Medeiros disse...

oi maria, tudo bem?

belo conto. certas coisas depois que quebram ficam impossíveis de serem consertados; sempre ficará fissuras, que enfraquece o todo.

certas coisas quando passam tem que passar e voltar é a pior das escolhas.

com relacionamentos é assim. precisa-se cuidado, afagos, ternura, planos e sorrisos; o vaso às vezes até arranha mas se for sólido, não se quebra; mas quando se quebra, só se houver amor de verdade para juntar tudo de novo num todo coeso.

do contrário, é melhor deixar passar...

beijos

Eduardo Medeiros disse...

maria, adorei a história que você contou lá no botequim; posso publicá-la como um post? adoro histórias assim...rsssss

Tania regina Contreiras disse...

Sempre bom o entendimento de que a próxima chance damos a nós mesmos. E adorei o Oswaldo Montenegro na trilha sonora desse (des) encontro!
Beijos,

Gilson Faustino Maia disse...

Maria Emília,
vendo aquele imagem eu fico pensando: se aquele espelho quebrar-se, como consertar? Assim é num relacionamento, como voltar? Se bem que já vi um casal que estava separado há vinte anos, ajuntar os caquinhos e recomeçar. A vida e seus mistérios! Abraços.

RECANTO DOS AUTORES disse...

Emilia,um belo conto!Tudo tem seu tempo certo!Bjs,

Mgomes - Santa Cruz disse...

Ela sabia aquilo que queria e ele apesar de eu ser homem não passava de um fantoche que não sabia amar e não respeitava o amor dela. Porque ela deveria dar-lhe a terceira chance, se ela na segunda a deixou e fosse embora.
Beijos
Santa Cruz

Shirley disse...

Maria Emília, eu também acho que a terceira vez não vai dar certo,rs. Difícil é fazer mudanças. Beijos prá você!

Sonhos De Deus disse...

Oiii,bom dia...
A nossa alegria supera nossa tristeza, nosso consolo supera nossa dor, nossa fé supera nossa dúvida, nossa esperança supera nosso desespero, nosso entusiasmo supera nosso desânimo, nosso sucesso supera nosso fracasso, nossa coragem supera nosso medo, nossa força supera nossa fraqueza, nossa perseverança supera nossa inconstância, nossa paz supera nossa guerra, nossa luz supera nossa escuridão, nossa voz supera nosso silêncio, nossa paciência supera nossa impaciência, nosso descanso supera nosso cansaço, nosso conhecimento supera nossa ignorância, nossa sabedoria supera nossa tolice, nossa vitória supera nossa derrota, nossa ação supera nosso tédio, nosso ganho supera nossa perda, nossa resistência supera nossa fragilidade, nosso sorriso supera nosso choro, nossa gratidão supera nossa ingradidão, nossa riqueza supera nossa pobreza, nosso sonho supera nossa realidade... Nosso amor a Deus, ao próximo, à vida, nos faz superar tudo! (Pr. Edilson Ram)Uma semana de vitórias Deus é com tigo creia! TENHO UM BLOG GOSTARIA DE TI CONVIDAR SEGUIR O ENDEREÇO É:http://SNSDEUS.BLOGSPOTFICA COM NOSSO PAPAI já estou te seguindo te encontrei através de uma amiga,post teu comentario vai ser uma benção prs seguidores e visitantes uma semana com muita sorte de benção!!!

JAIRCLOPES disse...

Emília,
Teu retrato de um momento na vida de dois seres que se relacionaram está supimpa. Parabéns.

JGCosta disse...

Belíssima e acertada reflexão minha amiga!

Algumas vezes temos que escolher, então que seja a escolha certa: nós mesmos!

Grande abraço renovado!