domingo, 23 de outubro de 2011

Saudades...

Sinto saudades de quando
a vida dentro de mim
ficava atarefada.
Corria pra lá e pra cá
percorrendo os caminhos já conhecidos,
acendendo  luzes na minha imaginação,
segredando aos meus instintos
a criação de novos espaços,
a invenção de novos passos...
Tudo...tudo...ela tentava
querendo surpreender você.

Ah...Quer saber?!...
Eu sinto mesmo é
 saudade de você.

                                Maria Emília Xavier






10 comentários:

✿ chica disse...

Delícia de leitura.Linda confissão! beijos,chica e ótima semana!

Leonel disse...

Muito sentimento e sensibilidade nestes versos!
Tenha uma boa semana, Maria Emília!
Abraços!

Anne Lieri disse...

Maria Emilia,tb adorei sua confissão final!...rss...lindíssima e reveladora poesia!Obrigada pelo carinho no meu aniversário!Fiquei feliz com sua visita!Bjs,

pensandoemfamilia disse...

Saudades do que passou, pois "nada será como um dia, tudo passa tudo sempre passará. No entanto, "há tanta vida lá fora"....
bjs

Nuvembranca disse...

(risos) Lindo poema... Lindo demais. Beijos.

Cacá - José Cláudio disse...

Adoro rodeios quando é para confissões de amor. rsrs. Abraço grande e ótima semana. Maria Emília. Paz e bem.

Vinicius. C disse...

Adorei o texto!!

Deixo um beijo e desejo a você um ótimo dia!

Estou esperando por você no Alma!

HEIDY disse...

Que linda poesia poetisa,falando em saudades,vim aqui matar a minha,adoro seu cantinho...bjssssssssss Linda amiga!!!!!

Graça Pereira disse...

Tanta sensibilidade, Maria Emília e eu...gostei!!!
Mil beijos.
Graça

ॐ Shirley ॐ disse...

Muito bonito e sincero, Maria Emília. Às vezes dá uma saudade de fatos passados...Um beijo, amiga!