segunda-feira, 24 de maio de 2010

´CORTARAM DUAS ÁRVORES DA MINHA RUA. MINHA RUA FICOU SEM DUAS ÁRVORES...

Cortaram duas Árvores da minha Rua.
Minha  Rua ficou sem duas Árvores...
Por mais de meio século moraram nesta Rua...
Eram Árvores frondosas...Imponentes.
Árvores que doavam muita sombra...
Sob suas sombras  meus filhos cresceram ...
Sob suas sombras nossos carros se abrigavam...
Sob suas sombras as crianças brincavam...
Sob suas sombras, ainda ontem, jovens namoravam...  
Hoje, elas saem da Rua - retalhadas em pedaços, seus galhos cortados sem carinho, amassados, desfolhados de qualquer maneira - em dois caminhões abertos, que sem nenhum respeito - pela doação de vida por mais de meio século - vão no seu veloz andar,  deixando partes de suas frondosas e majestosas copas voando por ali e acolá...
Elas, acredito eu, sem nada entenderem... Doloridas... Feridas de morte,  como se estivessem se   despedindo derramam lágrimas em forma de folhas...
Cortaram duas Árvores da minha Rua.
Minha Rua ficou sem duas Árvores...

Maria Emilia Xavier

4 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

Maria, tocante teu poema pelas árvores mortas. Mortas, sim, pois são vivas e muita gente não se percebe disto.

Precisamos de mais árvores em nossas ruas e não cortar as que já existem.

beijos

Ivana Marisa Altafin disse...

Conscientização é o que falta, preservando a natureza estamos preservando a vida. Tem um SELO para você no Fotos, Poesias e Emoções. Um abraço!

Ricardo Calmon disse...

Belo e intenso,Maria Emília,post esse teu,um réquiem pelas árvores,centros de polarização de vida e energia,amei,amei e amei.
Bem Vinda aos campos meus de girassois ,dagora a partir,girassol és,escrba amiga!

Viva La Vida

Smack

gorettiguerreira disse...

Continuo encantada com seu lirismo e beleza como descreves da dor. Ainda postando postagens dos amigos... que coração tão lindo amiga!
Estou chorando ainda pela postagem de meu irmão seu texto para minha mãe e citando a mana Salete que já superou um Câncer de mama ha dez anos atrás e agora teve descolamento de retina e "ele diz de um cisco no olho" em carta para minha mãe que já vive lá com Deus??? Estou abalada hj amiga. Vejo a foto de minha irmã caçula de óculos e tão feliz, com tanta fé e apesar de ainda ver somente vultos, pois foi recente essa incidente dela (Salete)
Obrigada por seu amor nesse dia poetisa meiga.
Beijos da Guertreira.