segunda-feira, 24 de maio de 2010

JOSÉ CLÁUDIO - VERSINHOS DO DESMERECIMENTO HUMANO

Eu não justifico a desigualdade
Achando que é do nascer humano
Antes procuro os momentos
em que foi ela acontecer,
esmiuçando a origem da maldade
Comigo, com você e com o fulano.
Não cultuo o desmerecimento
Que tão em voga está
cada um se achando o mais perfeito
que é seu o maior sofrimento
que é seu o melhor que há
trafego entre o ávido e o precário
entre o anseio e a desdita
distribuindo, ora flores, feito um perdulário
engolindo, ora sapos, como destronado sibarita

José Cláudio
Belo Horizonte/MG

3 comentários:

Chica disse...

Zé Claudio é sempre maravilhoso! Lindo de ver!beijos,chica

Ivana Marisa Altafin disse...

Olá,

Momentos de pura magia; ler esses versos e ouvir Toquinho. É tão simples ser feliz, basta querer. Um abraço!

JoeFather disse...

Infelizmente é um equilíbrio necessário o retratado pelo amigo, mas é claro que quem não gostaria de viver somente de flores, amores, do que os ter misturado com rancores, dores...

Parabéns pela inspiração!

Abraços renovados!