segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Hans Magnus Enzensberger

Eu conheci hoje o Poeta Hans Magnus Enzensberger na página do Poeta Fabiano Calixto, no Facebook, e fiquei encantada com este Poema. Resolvi postá-lo por aqui, pois desde que Fernando Pessoa escreveu que o "POETA É UM FINGIDOR..." eu não encontrei nenhuma outra tese tão interessante, para mim verdadeira, do que a que Hans, lindamente, defende em seus Versos e com a qual concordo plenamente. Apreciem  vale a pena.
                                    Maria Emilia Xavier


                                                                                                                    Adão Cruz                                     


Razões adicionais para os Poetas mentirem

Porque o momento
no qual a palavra feliz
é pronunciada,
jamais é o momento feliz.
... Porque quem morre de sede
não pronuncia sua sede
Porque na boca da classe operária
não existe a palavra classe operária.
Porque quem desespera
não tem vontade de dizer:
“Sou um desesperado”.
Porque orgasmo e orgasmo
não são conciliáveis.
Porque o moribundo em vez de alegar:
“Estou morrendo”
só deixa perceber um ruído surdo
que não compreendemos.
Porque são os vivos
que chateiam os mortos
com suas notícias catastróficas.
Porque as palavras chegam tarde demais,
ou cedo demais
Porque, portanto,

é sempre um outro,
sempre um outro
quem fala por aí,
e porque aquele
do qual se fala
se cala.
HANS MAGNUS ENZENSBERGER

# Tradução: Kusrt Scharf e Armindo
 
 
 
Cantinho da Trova
                                                                               Adão Cruz
                                      Nosso primeiro carinho,
                                       Foi lá naquele portão.
                                       Hoje apenas é caminho
                                       De uma grande solidão.
                                                                                 Maria Emilia xavier


 
 
                                      No aceno a paixão reparte
                                        a dor que se multiplica
                                        na tristeza de quem parte,
                                        na saudade de quem fica!
                                            Antônio Juraci Siqueira/PA


                                          Meu pai era um homem pobre
                                      quanto ao sentido do ter,
                                      mas foi sempre muito nobre
                                      quanto às virtudes do ser.
                                                      Tarcísio Fernandes/RN


                                                                       

                                        Meu rancho ficou deserto
                                      após sua despedida,
                                      porque sem você por perto
                                      nem minha vida tem vida.
                                                      Maria Nascimento/RJ

                                                                         

                                     
                                  Ia um casal caminhando,
                                          velhinho, trôpego o passo.
                                     - Era a Saudade levando
                                     o Passado, pelo braço...
                                                        Elton Carvalho/RJ



9 comentários:

Andre Mansim disse...

Muito Milaxxx você nos traz sempre muita coisa de bom gosto pra ler! Parabens minha amiga!

Tenha uma semana iluminadíssima!

✿ chica disse...

Puxa, que belo achado...Lindo poema! beijos, de volta,chica

Leonel disse...

Boa garimpada!
Versos lindos para todos os gostos!
Abraços, Maria Emília!

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Excelente sim, muito bom esse achado. Mas com todo respeito ao Fernando Pessoa( e ele merece respeito), não concordo que o poeta é um fingidor. A não ser que ele tenha dito uma coisa e nós entendemos outra, afinal, às vezes somente o próprio poeta sabe o que elee quis dizer no poema. Beijos.

Toninhobira disse...

Bela partilha Emilia, as definições persistem e insistem no querer entender o que o outro quer dizer.Viva a poesia.
Belas trovas amiga.
Um carinhoso abraço.

Élys disse...

Foi um achado bem interessante. Bonita poesia, lindas trovas.
Beijos.

ॐ Shirley ॐ disse...

Bonito poema, Maria Emília e no meio dele há uma frase de muita sabedoria, rs. Sua trova está um doce. Beijos, menina!

Ange disse...

Maria Emila, boa noite! Saudades...
Não conheço o poeta aqui em questão, pelo nome eu diria que talvez trata-se de um poeta Alemão, ou de alguém de uma linguagem semelhante.
Entendo sim , que ao ler este belo texto nos vem o poema de Fernando Pessoa em lembranças. Muito interessante e sábio este texto do poeta Hans. Parabéns!
É sempre um prazer passear por aqui!
Uma linda noite!
Ange.

nacasadorau disse...

Concordo plenamente com o primeiro poema e até lhe achei graça.
Quanto a mim, que não sou poeta, embora seja aprendiz e me vá atrevendo, digo que mentira não será sempre. Há um fundamento, uma dor, algo que está na base do sentimento que se pretende expulsar, mas o resto vai sendo composto, alindado, ou deformando, isso sim, será mais por aí.

Beijinho e obrigada pela visita.